14 de Novembro de 2008

 

A obsessão de algumas pessoas por Fátima continua a crescer. Fátima transformou-se num credo de enorme sucesso, num fetiche, que para a maioria da espécie humana é a expressão mais evoluída de religião, sucedânea do antropomorfismo das crenças primárias, que o cristianismo (e outras religiões ditas axiais mas que seria mais correcto chamar de abraâmicas) assimilou e integrou no seu culto, talvez mais humano formalmente, mas de evidente primitivismo na essência.

Respeito e despertam-me sentimentos de compaixão aquelas pessoas que se arrastam pela passadeira de mármore polido que desce da colina, onde antes da Igreja da Santíssima Trindade, estava a Cruz Alta até à capelinha, dita das Aparições, e a circundam em condições deploráveis de repugnante humilhação.

Este culto do sofrimento, do sacrifício e da humilhação é, em meu pensamento, a óbvia negação do cristianismo. Bem pode o Papa clamar que Deus é Amor, Deus caritas est, que esta gente não entende. Parece que os discípulos do Cristo também não entenderam e inventaram uma religião que cada vez se foi afastando mais da essência do pensamento do Crucificado.

E isto leva-me a um outro pensamento: “O que está a fazer à entrada lateral direita do Santuário, delicadamente protegido por uma vitrina que parece uma capela, uma fatia do Muro de Berlim?” Eu sei que puseram na boca dos pastorinhos a «Nossa Senhora» a prometer a conversão da Rússia… mas o muro ainda nem estava feito. Outros afirmam que a queda do muro simboliza a falência do comunismo. Esquecem contudo que o comunismo foi uma resposta séria e coerente à falta de eficácia da Doutrina Social da Igreja, ainda hoje sonegada, e menos ainda praticada, pelos mais fiéis seguidores de Roma. Desconhecem também que a RERUM NOVARUM, primeira encíclica social da Igreja, foi contemporânea de Marx e era uma tentativa de revolta dos pobres contra a impiedade dos ricos. O Comunismo tentou impor à bruta o que a Igreja não era nem é capaz de fazer com paninhos quentes.

Daí eu pensar que este monumento ao Muro de Berlim, em Fátima, é uma intolerável incursão do reino Deus no reino de César.

Do outro lado do Santuário está a pira da cera. Os vendilhões dos templos são indestrutíveis!

publicado por MaiaCarvalho às 08:01

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Novembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO