22 de Janeiro de 2007
Havia uma biblioteca
em Tombuctu,
onde as caravanas paravam,
vindas dos sonhos
com ouro e escravos do Índico,
por onde andara Luís Vaz,
febril e com piolhos,
pelejando e fazendo amor.

Há ainda uma biblioteca
em Tombuctu,
onde não está nenhum manuscrito
de Luís Vaz,
talvez resgatado do fundo do mar.

Haverá uma biblioteca
em Tombuctu

por ser no meio de lugar nenhum
é lá que tudo acontece.

guy ( http://noindex.blogspot.com/2006/01/tombuctu.html )

Descobri este poema neste endereço e como gostei, aqui lhe dou publicidade.
Muito obrigado ao autor.
publicado por MaiaCarvalho às 20:17

mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

2 seguidores
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Janeiro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
24
25
26
27

28
30
31


arquivos
2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2008:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2007:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2006:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2005:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


blogs SAPO